Para onde vão os votos de Moro na corrida presidencial?

Bruno Carazza fez uma série de publicações em seu perfil no Twitter sobre as possíveis consequências da saída de Moro da disputa presidencial

O preço do patrimonialismo

"Como não há nenhum outro Poder para fazer o contrapeso, a política cada vez mais atraente: há mais dinheiro no sistema político-partidário e com controles cada vez mais frouxos”, disse ao Estadão o analista político Bruno Carazza.

Não há vácuo de poder

Como demonstra Bruno Carazza, a média mensal de vetos do período atual é duas vezes maior que a do governo Lula, e a derrubada mensal de vetos presidenciais no Congresso é cerca de quatro vezes maior hoje do que seu índice mais baixo no passado, durante o segundo governo Dilma.

Governo Bolsonaro tem menor presença de siglas em cargos enquanto emendas dispararam, mostra levantamento

Bruno Carazza também chama a atenção para o protagonismo de Lira na negociação com as legendas e aponta que Bolsonaro, apesar da aproximação com o Centrão por meio de outras vias, deve usar a pouca participação dos partidos em cargos como ativo eleitoral, em discurso semelhante ao de 2018.

Ciro é questionado por convidado sobre contratação de João Santana

O pré-candidato foi questionado pelo professor Bruno Carazza, colunista do Valor, sobre como pretende atrair eleitores, além de seus fiéis apoiadores, e convencê-los de que combaterá a corrupção tendo contratado um marqueteiro que é símbolo da “aliança entre o sistema político e a elite econômica” que está na base da corrupção do sistema político brasileiro.

Em evento de combate à corrupção, Ciro é questionado sobre João Santana na Lava-Jato e rebate: ‘Condenação eterna é nazismo’

Ciro foi questionado pelo pesquisador Bruno Carazza, convidado para compor uma das mesas do seminário, como o pedetista discutiria estratégias de combate à corrupção com o eleitorado brasileiro tendo contratado o "símbolo dessa aliança entre o sistema político e o sistema de elite econômica que acabou degenerando em corrupção".

Eleições: Bolsonaro atingiu teto ou pode virar votos de Moro e Doria?

Para o pesquisador Bruno Carazza, "é difícil cravar que Bolsonaro tenha batido no teto. O presidente tem usado toda a máquina governamental neste ano de eleição para tentar recuperar um eleitor que já foi dele - mais educado, mais velho e com mais poder aquisitivo. E os números mostram que ele tem conseguido".

Guedes propõe a Bolsonaro aumento de R$ 400 em vale-alimentação de servidor

O próprio Guedes tem compartilhado um gráfico, formulado pelo professor Bruno Carazza, da Fundação Dom Cabral, de Belo Horizonte, mostrando que de 1998 a 2021 algumas categorias de servidores receberam aumentos superiores à inflação.

Auditor fiscal iniciante ganha mais que professor universitário no topo

Para o professor Bruno Carazza, da Fundação Dom Cabral, de Belo Horizonte, o fato de o salário inicial de um auditor fiscal ser superior a de um professor universitário no topo da carreira reflete uma distorção na política de recursos humanos do Executivo.

Elite do funcionalismo, que quer aumento, tem salários de mais de R$ 30 mil

Estudioso do assunto, o professor Bruno Carazza, da Fundação Dom Cabral, de Belo Horizonte, lembra que as profissões mais bem remuneradas são as de nível superior, enquanto as com salários menores são as de nível médio ou básico.

Bomba fiscal no Congresso pode passar de R$ 230 bilhões

Para o pesquisador Bruno Carazza, professor da Fundação Dom Cabral, o enfraquecimento da posição de Guedes e a segunda posição de Bolsonaro nas pesquisas de intenção de voto tornam o presidente mais suscetível às pressões em ano eleitoral.

Partidos receberão R$ 6 bi em dinheiro público para campanhas

O professor da Fundação Dom Cabral e analista político Bruno Carazza explica que em geral os países definem a composição do financiamento das campanhas a partir de três fontes, dando mais ou menos ênfase em cada uma delas: dinheiro público, doações de empresas e doações de pessoas físicas.

O que tem de regra nova nas eleições de 2022

O fato de o principal adversário do presidente ser um ex-presidente da República é algo inédito, como lembrou ao Nexo em setembro o doutor em direito e mestre em economia Bruno Carazza. Há também novidades em regras eleitorais que prometem mudar os contornos da disputa.

Parte da elite do funcionalismo acumula reajustes superiores à inflação

Cálculos do economista Bruno Carazza mostram que várias carreiras tiveram aumentos salariais acima do IPCA acumulado entre 1998 e 2021

Partidos já têm disputa entre parlamentares e presidenciáveis por verbas do fundo eleitoral

— Os partidos aumentam cada vez mais o fundo e como o critério para a divisão é muito baseado no desempenho na eleição da Câmara, eles são incentivados a colocarem mais dinheiro para fazerem uma grande bancada na Câmara. É um sistema que se retroalimenta — analisa o pesquisador Bruno Carazza, autor do livro “Dinheiro, eleições e poder”.

Pandemia impulsiona candidaturas de profissionais ligados à área da saúde

Para o analista político Bruno Carazza, professor da Fundação Dom Cabral, o movimento é algo natural, a exemplo da enxurrada de policiais, juízes e procuradores que disputaram a eleição em 2018 na esteira da Operação Lava Jato. “Como todo tema que domina as atenções da sociedade por um tempo, sempre surgem personagens que buscam surfar na onda de popularidade e se lançam candidatos. Com a pandemia não vai ser diferente”, disse ele.

Em ano eleitoral, governadores abrem o caixa para reajustes salariais a servidores

Especialista em Direito Eleitoral e Políticas Públicas, o professor da Fundação Dom Cabral Bruno Carazza lembra que tanto a legislação eleitoral quanto a Lei de Responsabilidade Fiscal impõem limites temporais para a concessão de aumentos a servidores ou a contratação de novas despesas de outras naturezas, com o objetivo de combater o uso da máquina pública em ano de eleições, mas que os políticos conseguem se antecipar, viabilizando os reajustes dentro dos prazos legais.

Coalitions, Corruption, and Crisis: The End of Brazil’s Third Republic?

As Bruno Carazza points out in his smart, empirically grounded, and accessible study of the relationship between money and politics, there is plenty of reason for the political system to be worried by any corruption investigation.

Bolsonaro busca marqueteiro para cuidar de sua imagem durante a campanha

“Bolsonaro vai recorrer aos ativos tradicionais da política, inclusive o poder da máquina do Estado, com as destinações de Orçamento e as concessões de benefícios, para compensar o desgaste

em sua popularidade”, afirma o cientista político Bruno Carazza, autor do livro Dinheiro, Eleições e Poder

Centrão age para manter gastos com campanhas acima de R$ 5 bi

Na prática, o dinheiro do fundo eleitoral vai para a conta dos partidos, cabendo aos dirigentes de cada legenda decidir como farão a distribuição entre os candidatos. Um levantamento do cientista político Bruno Carazza mostrou que, em 2018, essa partilha privilegiou presidentes das siglas, alguns deles deputados que buscavam a reeleição. Foi o caso de Luciano Bivar (PSL-PE), que ficou com quase 30% do total reservado aos candidatos à Câmara da sua sigla. 

O caminho para vencer o populismo

“O grande problema é que Moro vai sofrer uma campanha de ataque bem pesada da esquerda, pela prisão do Lula, e pela direita, que entende que é um traidor de Bolsonaro. Corre o mesmo risco da Marina Silva, que em 2014 apanhou dos dois lado”, avalia Bruno Carazza, professor do Ibmec e da Fundação Dom Cabral.

Quem escolhe o seu deputado?

A distribuição dos recursos entre os candidatos é um fator importante para o sucesso das candidaturas. Levantamento de Bruno Carazza mostra que, na eleição de 2018, dos 100 candidatos a deputado federal que mais arrecadaram recursos, 58 se elegeram. No mesmo levantamento, lemos que a maior parte da cota de 30% para candidaturas femininas “foi aplicada em esposas, filhas e netas de políticos tradicionais, como Danielle Cunha, Flávia Arruda, Marília Arraes e Elcione Barbalho – candidatas cujos sobrenomes dispensam apresentações”.

Bolsonaro vê Lula e Moro se aproximarem no alcance online

O desempenho de Bolsonaro nas redes sociais foi determinante para o sucesso dele em 2018. Mas outros recursos — como o tempo de rádio e TV e os palanques estaduais — poderão voltar a ter grande peso na disputa do ano que vem, diz o cientista político Bruno Carazza. “Se tem uma lição que dá para tirar (da eleição municipal) de 2020 é que a política tradicional voltou.

Ser anticorrupção é tornar políticos e servidores responsáveis pelos próprios atos

Em um discurso anticorrupção e de presidenciável, Moro tentou destacar seu trabalho na Lava Jato de forma humanizada. Chega de “mensalão” e de “rachadinhas”. A análise textual do discurso, feita por Bruno Carazza, colunista do Valor, revela que a corrupção foi uma das palavras mais usadas pelo ex-ministro durante seu discurso. 

Presidenciáveis medem críticas ao auxílio de R$ 400 proposto por Bolsonaro

O economista Bruno Carazza, professor do Ibmec e da Fundação Dom Cabral, avalia que “o tiro pode sair pela culatra” com o Auxílio Brasil devido à incerteza no mercado com o “populismo econômico” do governo. Ele lembra que o auxílio emergencial trouxe um ganho “efêmero” de popularidade a Bolsonaro, que regrediu após reduções no benefício e em paralelo ao avanço da inflação neste ano, puxado pela alta internacional do petróleo e pelo risco de escassez de energia no Brasil.

Com 1,07 milhão de mineiros inscritos, Auxílio Brasil vai destinar R$ 430 milhões por mês a Minas

Para o cientista político Bruno Carazza, do Ibmec, Bolsonaro passará de um perfil liberal na economia e de independência política no trato com o Congresso Nacional, visto durante a corrida ao Planalto em 2018, para um político de ações populistas e assistencialistas na economia, enquanto na política o que se destaca é seu compromisso com o chamado Centrão.

País pagou R$ 2,4 bi em 4 anos a juízes que não tiraram 60 dias de férias

Bruno Carazza, doutor em direito e mestre em economia, diz que as férias de 60 dias para juízes surgiram na década de 1970, porque a categoria tinha um trabalho solitário e exaustivo, principalmente no início da carreira, em cidades isoladas. Mas, segundo ele, hoje o privilégio não se justifica, pois os juízes têm assessores, técnicos e estagiários, e os tribunais estão melhor estruturados.

Quais os indícios de que Guedes está isolado no governo

A fragilidade do momento de Guedes no governo vai além das revelações da offshore, na opinião de especialistas ouvidos pelo Nexo, que consideram que uma eventual demissão do ministro seria fonte de ainda mais turbulência para o governo.

O retorno dos marqueteiros

“Apesar da Lava Jato, não houve nenhuma mudança estrutural no sistema político brasileiro. O custo das campanhas continua alto”, argumenta Bruno Carazza, doutor em direito. Para ele, os políticos conseguiram driblar a proibição das doações de pessoas jurídicas (vetada pelo STF em 2018) utilizando as verbas dos fundos eleitorais. “O que antes vinham das empresas agora vem dos impostos.”

Como estavam FHC, Lula e Dilma a um ano da reeleição

Professor Bruno Carazza analisa as condições políticas enfrentadas por FHC, Lula e Dilma a um ano da reeleição

Entrevista Bruno Carazza: Frustração, incertezas e ansiedade da classe empresarial

Para tentar entender o “humor” e os receios do empresariado e da classe financeira frente ao governo atualmente, conversamos com Bruno Carazza, doutor em direito (UFMG), mestre em economia (UnB), colunista do Valor Econômico, professor da Ibmec e da Fundação Dom Cabral e autor do livro “Dinheiro, Eleições e Poder: as engrenagens do sistema político brasileiro”.

Sob Bolsonaro, benefícios a militares e policiais vão custar R$ 27,7 bi até 2022

O analista político Bruno Carazza cita o fato de Bolsonaro ter passado a maior parte de sua carreira no Congresso defendendo pautas corporativas dos militares, mesmo nicho que foi depois ocupado por seus filhos com carreira política. “A família teve nos militares e nos policiais a sua principal base eleitoral, ao longo da carreira toda. Os militares concederam aos Bolsonaros essa longa carreira, então era de se esperar que ele contemplasse esse grupo, ao chegar ao poder”, disse Carazza, que é professor do Ibmec e da Fundação Dom Cabral.

Distante da vida real, Bolsonaro eleva perigosamente o tom contra inimigos

“Os ataques ao Supremo têm a ver com a busca do inimigo externo, que faz parte da estratégia como líder populista”, diz o professor do Ibmec Bruno Carazza.

Voto impresso é derrotado na Câmara em placar equilibrado

Para o analista político Bruno Carazza, professor do Ibmec e da Fundação Dom Cabral, Bolsonaro vai continuar usando essa pauta para "insuflar sua base de apoiadores mais fiéis".

Bolsonaro enfrenta a mais dura reação a seu governo

"Ao questionar as eleições e o Judiciário, Bolsonaro dá elementos para essa base de apoio, que não é desprezível, e soma hoje de 20 a 25% do eleitorado”, observou Carazza, professor do Ibmec e da Fundação Dom Cabral. Autor do livro Dinheiro, Eleições e Poder: as engrenagens do sistema político brasileiro, ele observou que, ao decidir entregar a “alma do governo” ao Centrão, com a nomeação do senador Ciro Nogueira (Progressistas) para a Casa Civil, Bolsonaro sofreu cobranças de seus apoiadores.

Entrevista com Bruno Carazza: Poder público, campanhas, novas evidências de tributos saudáveis, e mais

A entrevista do mês aprofunda o tema do poder político e de sua interferência em políticas públicas. Bruno Carazza, professor do Ibmec e da Fundação Dom Cabral, destrinchou as engrenagens do sistema político brasileiro, compilando e cruzando dados sobre doações de campanhas eleitorais, tramitação de projetos de lei, votações e atuação parlamentar.

Bolsonaro planeja turbinar Bolsa Família de olho na popularidade para 2022

Quando Lula lançou o Bolsa Família combinado a outras políticas sociais importantes, como a valorização do salário mínimo, ele estendeu sua influência política especialmente no eleitorado do Nordeste, que antes votava muito em políticos conservadores, e desde então passou a votar majoritariamente no PT — lembra o economista Bruno Carazza, professor do Ibmec e da Fundação Dom Cabral.

CPI da Covid: as principais revelações e os destaques dos depoimentos até agora

Esse distanciamento em relação ao presidente ocorreu mesmo no caso do ex-ministro Mandetta, avalia o analista político Bruno Carazza, professor do Ibmec e da Fundação Dom Cabral.

Quando lobby e democracia dão as mãos

Vale lembrar que, durante a tramitação da PNRS, a Recofarma, uma das maiores fabricantes dos produtos Coca-Cola no mundo, foi também uma das maiores financiadoras de campanhas políticas no país. Doou mais de R$ 50 milhões, entre 2002 e 2014, para diversos candidatos. É o que relata o pesquisador Bruno Carazza no livro Dinheiro, eleições e poder: As engrenagens do sistema político brasileiro (Companhia das Letras, 2018). 

Os efeitos das reformas de financiamento eleitoral

Dissertação de mestrado realiza um panorama estatístico sobre quais foram as mudanças ocasionadas pelas reformas de financiamento do sistema eleitoral brasileiro nos anos de 2015 e 2017

Por que o mercado não reage mal à instabilidade política da “dança das cadeiras” de Bolsonaro?

Bruno Carazza, economista e professor do Ibmec e da Fundação Dom Cabral, lembra que o “mercado” não é uma entidade única, mas de “de milhares de agentes que interagem diariamente vendendo e comprando ações, títulos e reais e moedas estrangeiras. Esses atores têm as mais diversas naturezas e portes, como pessoas físicas, grandes empresas exportadoras e importadoras, fundos de investimento, fundos de pensão, investidores estrangeiros institucionais, e até governos estrangeiros.”

Desgastado e isolado: como Guedes se segura no governo

O Nexo conversou com especialistas em economia para entender a posição de Paulo Guedes no governo Bolsonaro em março de 2021

Qual o papel do direito antimonopólio na defesa da democracia

Tese de doutorado da King’s College de Londres investigou como o poder econômico concentrado por grandes empresas influencia em decisões políticas no Brasil, agindo contra o fortalecimento de leis antimonopólio.

Para evitar supersalários, projeto quer incluir penduricalhos no teto

ara o mestre em economia e professor do Ibmec Bruno Carazza, o projeto de lei tem cunho mais pedagógico e moral do que fiscal.

Bolsonaro ‘dilmou’ na economia? Presidente repete Dilma com medidas contrárias à agenda de Guedes

“O presidente é um animal político e sabe que isso atrai dividendos. Saiu uma pesquisa da XP indicando que até mesmo quem não é apoiador do presidente concorda que o governo deve intervir para controlar os preços”, diz Bruno Carazza, professor do Ibmec e da Fundação Dom Cabral.

Bolsonaro quer a privatização da Eletrobras para resgatar a confiança do mercado

Para o economista Bruno Carazza, professor do Ibmec e da Fundação Dom Cabral, o governo quis dar uma sinalização de que a agenda de privatizações continua como prioridade, mas as dificuldades em fazer o texto avançar apontam obstáculos. 

Como a eleição na Câmara afeta a reforma tributária

Para Bruno Carazza, professor de Direito e Economia IBMEC e Fundação Dom Cabral, a reforma tributária, seja qual for o modelo adotado, sempre traz disputas envolvendo estados e municípios, o que dificulta sua aprovação. “Tem que ser uma coisa muito cuidadosa porque, quando a gente fala em mudança de impostos, sempre terão ganhadores e perdedores — os perdedores conseguem pressionar o Congresso para que a reforma não avance”, disse ao Nexo.

A intervenção de Bolsonaro para mudar a chefia da Petrobras

Numa entrevista ao Nexo em dezembro de 2020, Bruno Carazza, professor do Ibmec e da Fundação Dom Cabral, atribuiu a paralisia da pauta de privatizações, um dos pilares do liberalismo defendido por Guedes, entre outros fatores, às resistências internas do governo – que partem, inclusive, do próprio presidente.

PEC Emergencial pretende reduzir salários de servidores

“A PEC tem potencial para encaminhar uma solução fiscal, porque permite ao Executivo, por exemplo, reduzir gastos imediatos. Também dá poderes ao presidente para bloquear incentivos e reajustes de carreiras e promoções aos servidores públicos”, avalia o economista e professor Bruno Carazza, do Ibmec. 

Padrinhos, Caciques e os desafios do combate à corrupção

Bruno Carazza, com a obra “Dinheiro eleições e poder”, e Malu Gaspar, com o livro “A Organização – a Odebrecht e o sistema de corrupção que chocou o mundo”, descrevem como as operações de corrupção e as relações pessoais entre agentes públicos e privados moldaram e fizeram parte do sistema político e democrático no Brasil.

O momento da Eletrobras após a demissão de seu presidente

O Nexo conversou com Bruno Carazza, colunista do Valor Econômico e professor do Ibmec e da Fundação Dom Cabral, sobre a paralisia na pauta de privatizações defendida por Guedes. Segundo Carazza, alguns dos motivos que podem ser apontados para o não-avanço das privatizações são as dificuldades de articulação política do governo; a falta de compreensão sobre os trâmites burocráticos envolvidos em processos de desestatização; e as resistências internas do próprio governo – que partem, muitas vezes, do próprio Bolsonaro.

Os conflitos no Banco do Brasil. E os planos de Paulo Guedes

Segundo Carazza, alguns dos motivos que podem ser apontados para o não-avanço das privatizações são as dificuldades de articulação política do governo; a falta de compreensão sobre os trâmites burocráticos envolvidos em processos de desestatização; e as resistências internas do próprio governo – que partem, muitas vezes, do próprio Bolsonaro.

Gestão Covas concentrou em ano eleitoral 2/3 de gastos com asfalto em SP

Bruno Carazza, economista e professor do Ibmec (Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais) e da Fundação Dom Cabral, aponta um padrão de gastos públicos nos ciclos eleitorais.

Seis questões para 2021: Segundo ano de combate à Covid expõe desafios aos três Poderes.

Para traçar os cenários que se desenham e tentar esclarecer as principais dúvidas sobre o Brasil de 2021, O GLOBO ouviu especialistas de diferentes campos de conhecimento

Por que Bolsonaro pode sofrer uma ‘tempestade perfeita’ na política e na economia em 2021

"Bolsonaro navegou relativamente bem em 2019, e 2020 foi um ano super atípico. Agora, ele vai ser realmente testado em 2021", analisa Bruno Carazza, professor do Ibmec e da Fundação Dom Cabral.

Por que a agenda de privatização não avança sob Guedes

Para entender o não-avanço da agenda de privatizações, o Nexo conversou com Bruno Carazza, colunista do Valor Econômico e professor do Ibmec e da Fundação Dom Cabral.

Eleições municipais 2020: Vitória de Covas favorece Doria? O que dizem os especialistas

Quando você olha a distribuição nos Estados, o PSDB foi bem nos Estados de São Paulo e de Mato Grosso do Sul. Então, no país como um todo, o que a gente viu foi a continuidade de um encolhimento que vem de mais tempo", disse Carazza, que é professor do Ibmec e da Fundação Dom Cabral.

Prefeitos eleitos registram receita 60% maior que os candidatos derrotados

Publicado em 21/11/2020

Para o professor do IBMEC e da Fundação Dom Cabral Bruno Carazza, o comparativo demonstra o impacto do dinheiro no financiamento das campanhas. “Os dados reforçam a hipótese de que, mesmo com o fim das doações de grandes empresas e a onda das campanhas nas redes sociais, o acesso ao dinheiro continua sendo um elemento central na competição eleitoral no Brasil”, observa Carazza, autor do livro “Dinheiro, eleições e poder”, no qual se debruçou sobre os efeitos do poder econômico sobre a política.

A política ficou menos corrupta depois da Lava Jato? Especialista de crimes de colarinho branco responde

Publicado em 20/11/2020

O recém lançado livro “A Organização – A Odebrecht e o esquema de corrupção que chocou o mundo”, da jornalista Malu Gaspar, foi o tema do programa de quinta-feira, 19/11. A conversa contou com a presença da escritora e do economista e pesquisador Bruno Carazza.

Sete em cada dez cidades têm câmaras com menos partidos

Publicado em 19/11/2020

Especialista em Direito Eleitoral e Políticas Públicas, o professor do Ibmec e da Fundação Dom Cabral Bruno Carazza avalia que a redução do número de partidos nas câmaras municipais facilitará a gestão de prefeitos eleitos pelo país, que passam a ter melhores condições de negociar a aprovação de projetos.

Com mais dinheiro para campanha, PSL e PT tiveram piores resultados

Publicado em 19/11/2020

Autor do livro “Dinheiro, Eleições e Poder: As engrenagens do sistema político brasileiro”, o cientista político Bruno Carazza, colunista do Valor, afirma que as distorções observadas no ranking de eficiência são produtos do critério de distribuição dos fundos: “É uma fórmula que olha para trás. Distribui recursos hoje levando em consideração os resultados das eleições de 2018, ano de uma disputa muito polarizada entre PSL e PT”.

31% dos candidatos a prefeito não receberam verba pública para a campanha

Publicado em 18/11/2020

"Os amigos do rei levam a maior parte do dinheiro, enquanto muitos ganham uma migalha ou não ganham nada", diz Bruno Carazza, especialista em financiamento eleitoral no Brasil e autor do livro "Dinheiro, Eleições e Poder". Segundo Carazza, a falta de regras para distribuição de recursos "reforça a estrutura de poder das lideranças partidárias, dificultando a oxigenação dos partidos políticos e das lideranças".

Voto em Bruno Covas custou ao erário quase o triplo do voto em Boulos

Publicado em 18/11/2020

Segundo o economista Bruno Carazza, autor do livro "Dinheiro, eleições e poder: as engrenagens do sistema político brasileiro", as mudanças recentes na legislação eleitoral ainda não fazem frente ao capital social de políticos profissionais, permitindo a manutenção de famílias tradicionais no poder.

Brazil voters ignore Bolsonaro’s city election endorsements

Publicado em 16/11/2020

Brazil’s President Jair Bolsonaro has suffered a setback as most of the dozens of candidates he backed for municipal elections failed to secure victories or spots in runoffs. Bruno Carazza, a professor of economic law at Brazil’s Ibmec business school, said Bolsonaro had not made a concerted effort to rally supporters in the municipal elections and had lost an opportunity to “prepare the ground for the 2022 elections.″

Dois terços dos candidatos a prefeito apoiados por Bolsonaro perderam

Publicado em 16/11/2020

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), dormirá neste domingo com um resultado amargo nas eleições municipais de 2020. Dos 12 candidatos a prefeito apoiados por Bolsonaro em suas "lives" semanais, apenas quatro se elegeram ou chegaram ao segundo turno. Para o cientista político Bruno Carazza, Bolsonaro, no entanto, o papel de Bolsonaro nas eleições municipais não foi tão decisivo — apesar de alguns fracassos como o de Russomanno.

‘Pode votar de bermuda?’ é uma das preocupações do brasileiro no Google

Publicado em 15/11/2020

Em dia de eleições, o Google Trends, ferramenta do Google que monitora as buscas na plataforma, costuma ferver.

“Apuração Eleições 2020”, por exemplo, apresentou crescimento de mais de 200.000% nas últimas 24 horas.

As pessoas, claro, querem conhecer os políticos eleitos em suas cidades. Diferentemente dos EUA, os resultados no Brasil saem quase instantaneamente.

Bruno Carazza, professor do Ibmec, separou algumas que estavam em alta desde sábado (14).

Em busca de reeleição, prefeitos reduzem tarifa de ônibus e criam outras benesses

Publicado em 07/11/2020

Bruno Carazza, professor do Ibmec e da Fundação Dom Cabral, explica que a pandemia suspendeu travas para os candidatos à reeleição. "Vários prefeitos estão se aproveitando dessa janela justamente para se beneficiar. A justificativa dos gastos é bem-intencionada, mas a gente sabe que eles são usados eleitoralmente. É também fácil justificar ações como redução de impostos e do preço de passagens associando ao contexto de crise da pandemia".

Por que a Câmara dos Deputados está sem votar nenhum projeto há um mês

Publicado em 29/10/2020

O cientista político Bruno Carazza diz que paralisias como estas são comuns em anos eleitorais — embora a situação esteja mais séria em 2020. E isso pode contaminar a recuperação econômica.

Papel do dinheiro nas eleições é tema de debate na próxima quinta (5)

Publicado em 28/10/2020

A Câmara dos Deputados, por meio do seu Centro de Formação, Treinamento e Aperfeiçoamento, realizará, na próxima quinta-feira (5), live da Jornada de Debates Eleitorais com o tema “Qual a influência do dinheiro nas eleições?”, com os pesquisadores Bruno Carazza (Ibmec) e Bruno Reis (UFMG).

Thousands of Brazilian politicians are changing racial identities

Publicado em 29/10/2020

But the policy may have unintended consequences. One risk is fraud. Another is that a party could spend all the money reserved for non-white candidates on a single person. It could skirt the rule by having no black or brown candidates. The rule is well intended, but may not level the playing field, says Bruno Carazza, the author of a book about campaign finance.

Mortos, eleitores com renda incompatível e desempregados aparecem como doadores de R$ 22 milhões, aponta TSE

Publicado em 29/10/2020

Professor do IBMEC, da Fundação Dom Cabral e autor do livro “Dinheiro, Eleições e Poder”, Bruno Carazza considera positiva a antecipação das investigações feitas pelo Núcleo de Inteligência e o compartilhamento das informações entre os diferentes órgãos.

Plano do governo traça metas para elevar o desenvolvimento do País até 2031

Publicado em 28/10/2020

Para o professor do Ibmec Bruno Carazza, o lançamento de uma estratégia de longo prazo é uma maneira de Guedes mandar um recado para a ala desenvolvimentista do governo sobre os riscos de abandono das reformas. A mensagem do ministro, na avaliação dele, é que deixar de lado medidas duras pode levar a um crescimento negativo do País.

Estratégia de desenvolvimento conta com boas propostas, mas não avança na forma

Publicado em 28/10/2020

O economista Bruno Carazza avalia que o documento é muito mais uma estratégia política do ministro Paulo Guedes de se opor à ala desenvolvimentista do governo, que no início da pandemia havia lançado o Plano Pró-Brasil, para impulsionar a economia nacional por meio de investimento em infraestrutura.

Briga sobre vacina favorece Bolsonaro e Doria e antecipa cenário eleitoral de 2022

Publicado em 23/10/2020

“O Bolsonaro acabou sendo muito beneficiado pelo auxílio emergencial, pela recuperação da economia, e o Doria está querendo ganhar terreno nessa disputa, pensando em 2022, e reverter o ganho do Bolsonaro. A estratégia dele é essa questão da vacina, como alguém que conseguiu viabilizar a vacina e trazer esse resultado mais rápido. É nesse contexto que surge essa disputa entre os dois e acho que os dois estão colocando todas as fichas nisso”, afirma o cientista político Bruno Carazza, professor do Ibmec e da Fundação Dom Cabral.

Partidos preparam reação contra reserva de recursos para candidatos negros

Publicado em 25/09/2020

"É difícil estimar qual vai ser o impacto dessa medida", diz o cientista político Bruno Carazza, autor de um livro sobre a influência do dinheiro nas eleições. "Teoricamente, essa medida (destinar recursos para mulheres e negros) equilibra o jogo, porque tira poder dos partidos, dos dirigentes, em favor dessas maiorias minorizadas", diz ele. "Qual é o problema? Nas últimas eleições, os partidos cumpriram a regra (sobre candidatas mulheres) concentrando recursos nas mulheres que eram próximas aos líderes dos partidos.

Caciques partidários atropelam escolhas locais de candidatos de olho nas eleições de 2022

Publicado em 20/09/2020

O pesquisador do sistema político brasileiro Bruno Carazza afirma que as intervenções são comuns no Brasil. Ele diz que a frequência e a intensidade dependem da característica do partido. “Há partidos mais centralizados e outros menos. Isso acaba influindo nas decisões”, explica.

Estabilidade e o debate deslocado da Reforma Administrativa

Publicado em 17/09/2020

Segundo o economista Bruno Carazza, em análise completa e didática sobre a reforma, “a estabilidade ficará restrita aos ocupantes de cargos típicos de Estado e será adquirida após os dois anos de experiência e mais um ano de estágio probatório. Para os demais servidores, não haverá mais a garantia de emprego”.

Rodrigo Maia injeta protagonismo na Câmara e desabafa à revista PODER: “O que está segurando a economia é o auxílio emergencial”

Publicado em 14/09/2020

“Em termos principalmente de reformas econômicas, não consigo ver nenhum presidente tão bem-sucedido desde o deputado Luís Eduardo Magalhães, no começo da gestão de Fernando Henrique Cardoso”, disse a PODER Bruno Carazza, professor do Ibmec e da Fundação Dom Cabral e autor do livro Dinheiro, Eleições e Poder: As Engrenagens do Sistema Político Brasileiro.

Cenário é propício para a reforma, avalia Carazza

Publicado em 08/09/2020

O cenário político atual é propício à aprovação da reforma administrativa encaminhada pelo presidente Jair Bolsonaro ao Congresso. A avaliação foi feita pelo pesquisador Bruno Carazza, mestre em economia, doutor em direito e colunista do Valor.

Guedes tem necessidade muito grande de apresentar resultados, diz Carazza

Publicado em 07/09/2020

A reforma administrativa pode ter recebido preponderância sobre a tributária porque o ministro da Economia, Paulo Guedes, "tem necessidade muito grande de apresentar resultados", conforme o pesquisador Bruno Carazza, mestre em economia, doutor em direito e colunista do Valor.

Analistas refutam justificativa do governo para poupar elite dos servidores

Publicado em 04/09/2020

O pesquisador Bruno Carazza, jurista, economista e professor do Ibmec afirma que a questão é sujeita a um debate jurídico, mas não concorda com o argumento do governo.

‘É de se esperar que o eleitor retribua’, diz pesquisador sobre auxílios criados por prefeituras na pandemia

Publicado em 30/08/2020

Especialista em Direito Eleitoral e Políticas Públicas, o professor do Ibmec e da Fundação Dom Cabral Bruno Carazza avalia que os auxílios criados pelas prefeituras durante a pandemia, como mostrou O GLOBO neste domingo, podem ter efeito sobre a popularidade de candidatos que controlam a máquina pública local, numa disputa em que o eleitor é, em geral, mais pragmático na hora de decidir seu voto.

Moral, milícias e mamatas

Publicado em 28/08/2020

Como em tudo o mais, 2020 será imprevisível eleitoralmente. O colunista do Valor Econômico Bruno Carazza avalia os fatores que podem ou não influenciar nas eleições municipais: conjuntura econômica, campanha pelas redes sociais e poderio dos “partidos” militar e evangélico.

As promessas de Guedes

Publicado em 25/08/2020

Para o pesquisador Bruno Carazza, professor do Ibmec e autor de "Dinheiro, Eleições e Poder: as Engrenagens do Sistema Político Brasileiro" (Companhia das Letras), o desempenho de Guedes é muito ruim, se analisado pelo que foi prometido. Por outro lado, ele considera que Guedes conseguiu assegurar uma política de sustentabilidade fiscal e controlar os gastos do governo.

Dois erros – um grave, outro menos – sobre o teto de gastos

Publicado em 17/08/2020

Embora a ligação do MDB com empreiteiras corruptas seja notória – e muito bem analisada por Bruno Carazza em seu “Dinheiro, eleições e poder” (Companhia das Letras, 2018) –, o momento político pós-Dilma fez de Temer um sovina com o dinheiro dos outros.

Diante de pandemia, prefeitos mineiros pedem ‘sensibilidade’ ao TCE

Publicado em 05/08/2020

Na visão do professor do Ibmec Bruno Carazza, mestre em economia e doutor em direito, a Lei Complementar 173, que vigora desde maio deste ano, traz certo alívio para os gestores públicos.

Parlamentares disputam os repasses do fundo eleitoral nos partidos

Publicado em 02/08/2020

O pesquisador Bruno Carazza, autor do livro “Dinheiro, eleições e poder”, diz que o mecanismo do fundo contribui para a concentração de poder dos caciques partidários.

Como racha no centrão afeta governo Bolsonaro e sucessão no Congresso?

Publicado em 29/07/2020

Para o cientista político Bruno Carazza, a sucessão no comando da Câmara é o principal objeto da saída dos partidos — mais até do que as votações no plenário. MDB e DEM estariam sinalizando apoio ao grupo de Rodrigo Maia, numa eventual disputa com Arthur Lira.

Por que ainda temos tanta corrupção?

Publicado em 27/07/2020

Redes corruptas de empresários e políticos podem ser mais fortes do que se imaginava. Relações pessoais se formam. E a dependência de dinheiro extra para campanhas eleitorais, que Bruno Carazza documentou melhor do que ninguém em seu “Dinheiro, eleições e poder” (Companhia das Letras, 2018), continua a mesma.

O que está em jogo com a reforma tributária?

“A proliferação desses regimes especiais [tratamentos tributário e fiscal diferenciados, isenções e créditos subsidiados] nos últimos anos torna difícil reverter esse processo devido à grande resistência daqueles que se aproveitam das regras atuais – além de gerar um estímulo para comportamentos individualistas, pois todos que podem se mobilizam para obter tratamento diferenciado ou melhorar sua posição naqueles já existentes.” O trecho acima foi retirado do excelente livro escrito por Bruno Carazza e publicado em 2018, Dinheiro, eleições e poder: as engrenagens do sistema político brasileiro.

Por que esta semana é crucial para as eleições municipais de 2020

Publicado em 22/06/2020

Segundo o cientista político Bruno Carazza, o uso massivo da internet nas últimas eleições, em 2018, sugere que talvez a campanha "tradicional" tenha um peso menor também este ano - por isso, a vantagem dos prefeitos que vão tentar a reeleição talvez não seja tão grande.

Entre penalidades frouxas e avanços, LRF completa 20 anos

Publicado em 11/05/2020

Na avaliação do professor do Ibmec e analista político Bruno Carazza, a lei é positiva. “Hoje, você chega a uma prefeitura do interior, e há um conhecimento sobre RCL, restos a pagar, sobre o que se pode e o que não se pode fazer. Os gestores públicos, de certa forma, têm consciência de que, se descumprirem a LRF, podem vir a ter dor de cabeça no futuro”

Cargos que Bolsonaro negocia com centrão têm mais de R$ 10,6 bi ‘livres’ para investir em 2020

Publicado em 29/04/2020

Para o cientista político e professor Bruno Carazza, a troca de cargos por apoio realizada por Jair Bolsonaro representa a continuidade de uma tradição de séculos da política brasileira

Bolsonaro’s latest crisis threatens Brazil’s virus response

Publicado em 28/04/2020

Bruno Carazza, professor of economic law at the business school Ibmec and a columnist for newspaper Valor Econômico, said Bolsonaro has begun losing the support of wealthier, more educated Brazilians, whose backing had been based on rejection of the leftist Workers’ Party.

A Covid-19 e o fator Bolsonaro

Publicado em 03/04/2020

“Como chegar às pessoas que não estão no Cadastro Único?” questiona Bruno Carazza, economista e autor do livro “Dinheiro, Eleições e Poder: as engrenagens do sistema político brasileiro”. Pairam também incertezas sobre como o Tesouro vai garantir empréstimos para as PMEs em caso de inadimplência.

Restrita ao seguro-desemprego, MP 936 limita proteção aos trabalhadores

Publicado em 02/04/2020

O economista Bruno Carazza, professor do Ibmec e da Fundação Dom Cabral, calcula que, para um salário de R$ 2.213, que é a média brasileira, a perda ficará em menos de 10%, no caso de redução de 25% na jornada. Mas chegará a mais de 25% quando a redução de jornada for de 70%.

Bolsonaro doubles down on denialism

Publicado em 01/04/2020

“He has lost support from important groups that put him in the presidency, some of the richest and also some of the oldest people,” said Bruno Carazza, a law professor at Ibmec in São Paulo.

Idosos, evangélicos e ricos são os que mais acreditam nas mentiras de Bolsonaro sobre coronavírus, diz pesquisa

Publicado em 01/04/2020

Pesquisa Quaest, divulgada pelo Colunista no Valor Econômico e professor universitário Bruno Carazza, em sua conta do Twitter, nesta quarta-feira (1), revela que Idosos, evangélicos e ricos são os que mais acreditam nas mentiras de Bolsonaro sobre coronavírus.

El coronavirus frustra el ansiado despegue económico de Brasil

Publicado em 29/03/2020

“La crisis del coronavirus encontró a la economía brasileña en una situación de inmunidad baja y de fragilidad prácticamente estructural”, lamentó el economista Bruno Carazza, quien se refirió a los efectos que todavía siente el país de la recesión económica sufrida entre el 2015 y 2016, cuando el PBI perdió cerca de siete puntos porcentuales.

De cada R$ 100 de medidas anunciadas para o combate ao coronavírus, R$ 64 ainda não saíram do papel

Publicado em 26/03/2020

Para o pesquisador da Fundação Dom Cabral, Bruno Carazza, de concreto muito pouco saiu. “Muita coisa nem entrou no papel”, disse.

Solução para INSS permite indicação política e até corrupção, diz professor

Publicado em 06/03/2020

Essa é a visão do pesquisador Bruno Carazza, doutor em Direito Econômico, professor do Ibmec e autor de "Dinheiro, Eleições e Poder: as engrenagens do sistema político brasileiro" (Companhia das Letras).

MP do INSS é vista como minirreforma administrativa

Publicado em 04/03/2020

Para Bruno Carazza, professor do Ibmec e da Fundação Dom Cabral, a amplitude da medida surpreendeu e representa o primeiro passo da reforma administrativa. "A MP resolve não apenas uma série de problemas emergenciais do INSS, mas de outras áreas com excesso de demanda", diz.

Alvo de atos apoiados por Bolsonaro, Congresso tem mais verba para investimentos que Executivo

Publicado em 26/02/2020

Para o cientista político Bruno Carazza, no entanto, não faz sentido falar em "parlamentarismo branco" no país — o que existe é um fortalecimento progressivo do Congresso, acentuado no governo Bolsonaro.

Romeu Zema descobre a força do funcionalismo público

Publicado em 20/02/2020

egundo o cientista político Bruno Carazza, Zema agora terá três opções diante da armadilha que criou para si próprio. A primeira delas é vetar o projeto integralmente e se indispor contra servidores civis e militares. O veto também pode se restringir a emenda dos civis. Porém, nesse caso ele terá de enfrentar até o restante do mandato greves na saúde, educação e demais categorias. Por fim, é possível a sanção do projeto e a consequência: quebrar Minas Gerais de vez.

FHC é recordista em aprovação de PECs; Lula está em segundo lugar

Publicado em 02/02/2020

“FHC e Temer foram presidentes que chegaram ao Planalto depois de uma vida longa no Congresso. Eles conheciam os meandros da política, vieram de partidos muito sólidos, e os dois tinham agenda liberal e pró-Estado”, diz o economista Bruno Carazza.

Governo de Minas favoreceu 25 projetos de alto risco da Vale. Brumadinho é apenas um deles

Publicado em 10/01/2020

Para Bruno Carazza, especialista em financiamento eleitoral e autor do livro Dinheiro, Eleições e Poder: as engrenagens do sistema político brasileiro, criar uma estrutura no Estado para buscar vantagens competitivas é uma política legítima em muitos países. No entanto, o problema é como isso pode se dar.

Por que Bolsonaro enfrentará um Congresso ainda mais poderoso em 2020

Publicado em 09/01/2020

"A eleição municipal começa a colocar as cartas na mesa para 2022. Os parlamentares estão atentos para formar as suas bases para a eleição nacional seguinte. Pautas impopulares tem perspectiva menor de serem aprovadas em anos assim", diz Carazza à BBC News Brasil.

Partidos revelam coesão na Câmara em ano de crise na articulação do governo

Publicado em 06/01/2020

O pesquisador Bruno Carazza, professor do Ibmec de Belo Horizonte e colunista do Valor, chama a atenção para a manutenção do sistema de poder no Congresso apesar das mudanças de comportamento do Executivo.

Fundo eleitoral salva partidos sem o mínimo de votos

Publicado em 02/01/2020

Embora só possa ser acessado em período eleitoral, a cada dois anos, os recursos são grandes. É uma contradição e uma dificuldade para o propósito da cláusula de barreira de incentivar os partidos a se fundirem, a fim de se chegar num limite de 10, 15 partidos na Câmara — afirma Bruno Carazza, doutor em Direito pela UFMG e especialista em partidos políticos e eleições.

Elite do Congresso toca reformas e teve apoio empresarial para se eleger

Publicado em 26/12/2019

“Os grandes doadores não dão dinheiro a esmo. Conseguem ler quais candidatos são viáveis que vão ter um papel importante no Congresso”, diz Bruno Carazza, professor do Ibmec em Belo Horizonte.

Fundo eleitoral: como deverá ser a campanha em 2020

Publicado em 18/12/2019

Parlamentares aprovaram R$ 2 bilhões para financiar partidos nas eleições municipais. O ‘Nexo’ conversou com o economista Bruno Carazza sobre o que isso significa para o pleito

Fundão, não!

Publicado em 17/12/2019

Dados levantados pelo advogado e economista Bruno Carazza, abrangendo recursos dos fundos Eleitoral e Partidário, mostram que, em 2018, o valor médio destinado a candidatos à reeleição foi 14 vezes maior do que o destinado a novatos.

Como repúdio a Fundo Eleitoral de R$ 3,8 bi uniu movimentos de esquerda e direita

Publicado em 12/12/2019

As eleições de 2016 transcorreram normalmente sem a necessidade de um fundo bilionário, diz Carazza, que é autor de um livro sobre o financiamento da política no Brasil.

O fundo eleitoral precisa de mais dinheiro público? Podcast explica

Publicado em 06/12/2019

Bruno Carazza, analista político, professor do Ibmec e autor de “Dinheiro, Eleições e Poder - As Engrenagens do Sistema Político Brasileiro” (Cia. das Letras), discute o financiamento de campanhas no Brasil e explica o fundo eleitoral.

Ofensas, grampos e R$ 300 milhões: a guerra interna do PSL de Bolsonaro

Publicado em 23/10/2019

"Como o nosso sistema de distribuição de fundo partidário, fundo eleitoral e horário de TV privilegia o desempenho nas últimas eleições, o partido se tornou o maior agraciado em termos dessas benesses que são distribuídas pelo poder público brasileiro. Sem dúvida nenhuma, isso está na origem de toda essa briga política que a gente está vendo", afirma Bruno Carazza, economista e, pesquisador sobre financiamento eleitoral.

Prioridade para governo do PSDB, reforma do Estado esbarrou no corporativismo dos servidores

Publicado em 14/10/2019

Alvo de corporações, a reforma administrativa tucana acabou desidratada antes de sua aprovação pelo Legislativo. Em artigo publicado no “Valor Econômico” (14/10/19), Bruno Carazza, professor do Ibmec, destaca a derrota do Executivo diante das pressões sofridas pelos parlamentares.

Fundo milionário do PSL para próximas eleições deve impedir saída de Bolsonaro do partido

Publicado em 12/10/2019

Para o analista político e econômico Bruno Carazza, a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que em 2015 acabou com o financiamento empresarial da campanha eleitoral impacta diretamente nessa situação.

PSL TERÁ REFORÇO DE R$ 268 MILHÕES PARA ELEIÇÃO EM 2020

Publicado em 10/10/2019

“É uma mudança de patamar muito grande para um partido que não desenvolveu sua musculatura ao longo do tempo. Ele pode não ter capacidade, estrutura interna, princípios nem hierarquia dentro do partido para equalizar a briga de poder pelo controle desse dinheiro”, diz o pesquisador Bruno Carazza, autor do livro "Dinheiro, eleições e poder".

Bolsonaro flerta com saída do PSL enquanto busca forma de levar deputados com ele

Publicado em 10/10/2019

Até 2022 seriam 737 milhões de reais, conforme uma conta feita pelo doutor em direito econômico e colunista do jornal Valor Econômico Bruno Carazza.

Reforma eleitoral sancionada por Bolsonaro mantém verba do fundo de campanha com PSL

Publicado em 10/10/2019

O dinheiro está indo para o partido, independentemente de quem são os dirigentes dele. Os fundos são repassados de acordo com o resultado da última eleição, não importa se depois houve mudança de partido de algum parlamentar. Isso é uma forma até para evitar esse troca-troca — explica Bruno Carazza, pesquisador e autor do livro "Dinheiro, eleições e poder".

Brasileiros acham que o sistema político favorece os poderosos

Publicado em 02 de outubro de 2019

De acordo com o cientista político Bruno Carazza, para reverter esse quadro é preciso restringir o poder do Estado.

Mesmo com vetos, ”minireforma eleitoral” abre brecha para caixa dois

Publicado em 27 de setembro de 2019

Segundo autor do livro "Dinheiro, Eleições e Poder", projetos que afrouxam o controle sobre a classe política, antes das eleições, são recorrentes.

Projeto de normas eleitorais une oposição e Centrão

Publicado em 16 de setembro de 2019

Aprovado no modo The Flash na Câmara, o texto, que também clama por aumento no Fundo Eleitoral, conseguiu unir PT e PC do B ao Centrão (PP, PL e Republicanos) e ao DEM e MDB, informa Bruno Carazza no Valor.

O Assunto #19: Dinheiro para campanhas eleitorais – e como o Congresso quer mudar as regras do jogo

19 de setembro de 2019
Nilson Klava e Bruno Carazza conversam com Renata Lo Prete neste episódio. Nilson fala de como estão as negociações no Congresso sobre o fundo eleitoral. Carazza explica como é nosso sistema de financiamento de campanhas – e o que poderia ser mudado.

Deltan Dallagnol: ”Os tubarões atacam a Lava-Jato abertamente”

14 de setembro de 2019

Nosso sistema eleitoral é capturado pelo dinheiro, como mostra o recente livro de Bruno Carazza.

O novo apagão

13 de setembro de 2019
Guedes não atacou o problema dos subsídios, desonerações e benefícios, segundo o economista Bruno Carazza, do Ibmec. “O governo abre mão de 20% de receita da arrecadação para beneficiar alguns grupos”, afirma.

Justiça brasileira prende muito e prende mal, avaliam agentes públicos e pesquisadores

12 de setembro de 2019
Os personagens, intermediários, métodos e objetivos se repetem ao longo do tempo, garante Carazza. “Há certos nomes que aparecem no caso PC Farias e nas listas recentes da Lava Jato, por exemplo. O que mudou foram os valores envolvidos: cresceram cada vez mais ao longo dos anos”.

Candidatos contratam políticos nas campanhas

08 de setembro de 2019
"Com mais dinheiro público para campanhas, criamos oportunidades para utilização de laranjas, lavagem de dinheiro e reforço a laços de compadrio na política e ao poder de oligarquias regionais", opinou Bruno Carazza, especialista em financiamento eleitoral no Brasil e autor do livro Dinheiro, Eleições e Poder.

Agribusiness against the Amazon

As Bruno Carazza has shown in a book-length study of Brazilian congressional politics, it has become increasingly difficult for Brazilian presidents to obtain support for their projects without catering to the interests of this group.

Redução no número de parlamentares é resposta simples para problema complexo

Para o cientista político e autor de Dinheiro, Eleições e Poder, Bruno Carazza, o problema de baixa credibilidade do Congresso não tem relação com o número de parlamentares.

Disputa por prefeitura de SP pode estar por trás de expulsão de Frota do PSL

O cientista político Bruno Carazza lembra que, no Congresso, não existem "minions": cada um persegue os próprios objetivos.

Para especialistas, aumento de fundo para custear campanhas é questionável em momento de crise fiscal

Para o pesquisador Bruno Carazza, autor do livro "Dinheiro, eleições e poder", a ideia não se justifica diante do momento de crise fiscal do país. Ele credita a busca por mais recursos à falta de mudanças contudentes no sistema político-eleitoral.

Cocaine, leaks and opposition: Brazil’s Bolsonaro challenged by scandal, defeats

“It’s a messy government,” said Bruno Carazza, a professor at the Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais in Belo Horizonte. “When he was elected, there was this widespread fear here about his intentions. . . . But he is losing support due to the scandals and due to the inefficient government.”

PSL ganha novas sedes e faz evento em hotel de luxo

O pesquisador Bruno Carazza, autor do livro “Dinheiro, eleições e poder”, calcula que o partido terá um total R$ 737 milhões para receber dos cofres públicos até 2022. Além dos repasses do fundo eleitoral, as siglas também contam com as verbas do fundo partidário.

Bolsonaro usa estatais de olho na reeleição

O presidente segue coerente com o deputado Bolsonaro que, entre 1999 e 2010, se alinhou ao PT na Câmara na defesa de corporações e na concessão de benesses ao setor privado (incentivos, anistias etc.). Essa dobradinha já foi exumada pelo pesquisador Bruno Carazza.

Entenda o que é rent-seeking: a lucrativa arte de parasitar o Estado

Para Bruno Carazza, o rent seeking será maior quanto mais oportunidades de negócios o Estado oferecer.  “Quanto mais opaco for o processo de concepção de políticas públicas, maiores as chances de um comportamento rent-seeking por parte de grupos de interesses”, complementa o autor de Dinheiro, eleições e poder: As engrenagens do sistema político brasileiro."

Norway Day seminar on money, elections and power in Brazil

This year´s Norway Day seminar focused on the balance between powers in Brazil and the relationship between money, power and the elections. Keynote speaker was Bruno Carazza, UFMG law professor, economist, columnist and author of the book «Money, Elections and Power».

Quais os ecos da entrevista de Lula na política

Para entender o que há de relevante no discurso político do ex-presidente e os impactos que ele pode ter no futuro, o Nexo conversou por telefone com Bruno Carazza

Comentário para a BBC

Os cabos eleitorais que 'receberam' até R$ 20 mil de verba pública, mas não viram a cor do dinheiro

Comentário Seu Dinheiro

Os 100 dias de Bolsonaro: Foi bom para você?

Comentário Agência Pública

Dois assessores de Jair Bolsonaro doaram mais de R$ 100 mil para campanhas da família

Instituto Millenium – Entrevista com Fábio Cardoso

Bruno Carazza observa que, mesmo com a força do partido do presidente Jair Bolsonaro (PSL), ainda não é certo que o governo tenha a força necessária para implementar as reformas.

Política de Valor com Maria Cristina Fernandes

Governo Bolsonaro reduziu apenas 11% dos cargos
Maria Cristina Fernandes destaca o levantamento que foi feito pelo colunista Bruno Carazza, do Valor Econômico, com base no Diário Oficial da União.

Gabriela Sá Pessoa e Guilherme Garcia

Maiores doações a congressistas favorecem siglas à direita e caciques

Sérgio Praça

“Dinheiro, eleições e poder” – o melhor livro de 2018
No livro, o advogado e economista Bruno Carazza explica as engrenagens que permitem a políticos como Romero Jucá acumular poder e dinheiro

Celso Rocha de Barros

Os livros sobre política de 2018
Os melhores livros sobre política deste ano foram sobre crise

Blog Um Brasil

É mais fácil investir em político do que em produtos e serviços
Economista Bruno Carazza afirma que a prática de caixa dois em eleições pode crescer mesmo com as empresas proibidas de fazer doação em campanhas eleitorais

Davi Lago

Governo Bolsonaro reduziu apenas 11% dos cargos
Maria Cristina Fernandes destaca o levantamento que foi feito pelo colunista Bruno Carazza, do Valor Econômico, com base no Diário Oficial da União.

Zeina Latif

Ainda somos os mesmos.
Há uma renovação no Brasil, mas muito mais fruto das circunstâncias.

Fundação FHC

Caminhos e descaminhos da política: da crise nascerá uma democracia melhor?

Patrícia Basílio

“Rede social é canal para pessoa expressar aversão ao sistema político”, diz Carazza Para Bruno Carazza, autor de “Dinheiro, Eleições e Poder”, saber lidar com a internet é tão importante para candidatos quanto ter verba para campanha.